Barbie envolvida em polêmicas

Desde sua criação Barbie sempre foi popular e polêmica na mesma proporção. As principais críticas vieram do corpo da boneca, já que alguns acharam atraente demais para um brinquedo e muitos outros se incomodam com suas medidas, por ter quase sempre busto avantajado e cintura finíssima, bem ao padrão de beleza norte-americano. Dizem que as meninas, ao brincar com uma boneca com um corpo fora da realidade, podem crescer com uma visão distorcida de beleza e aparência. Já chegaram até a dizer que Barbie reforça um estereótipo de uma mulher fraca, submissa e ignorante.

Porém alguns exemplares viraram notícias em jornais e TVs de diversos países por conta de críticas de determinados grupos. O que geralmente não é levado em conta é que as edições designadas para colecionadores geralmente não chegam às mãos de crianças e sim de adultos que provavelmente não serão influenciados por quaisquer aspectos negativos dos quais a boneca foi acusada; nos casos das edições playline os adultos julgam as bonecas sem pensar que se são eles mesmos que dão as bonecas às crianças, basta não comprar para que a criança não brinque com algo que os pais não aprovem. E, aliás, será que as crianças, a cada dia mais espertas, realmente receberiam alguma influência de suas bonecas? Provavelmente não, mas os adultos ainda preferem discutir se o público infantil realmente vê alguma influência negativa ou somente um brinquedo.

Growning up Skipper 1974 | Foto: http://www.thestrong.org

Abaixo listamos alguns exemplares de Barbie e seus amigos, conhecidos por motivos bem diferentes dos propostos pela Mattel.

Growning Up Skipper (1974):  Numa época bem anterior à internet, muitos pais escreveram para a fabricante reclamando de uma boneca cujo corpo (inclusive os seios) cresciam! Apesar disso a boneca foi um sucesso de vendas. Abaixo um vídeo demonstrativo:

Earring Magic Barbie – Ken (1993): Um dos modelos de Ken mais vendidos em todos os tempos não foi exatamente um sucesso unânime. Muitos acharam o visual do boneco moderno e exagerado demais, pois além de ser a primeira vez em que ele usava brinco, ainda vinha com mechas claras no cabelo, colete de couro e camiseta baby-look! O visual logo foi associado aos gays que começaram a prestar mais atenção no namorado da Barbie, tornando-o assim um ícone do mundo gay.

1993 Earring Magic Ken | Foto: Marquis de Zod/Flickr

Oreo School Time Fun Barbie Afro-American version (2002): Muitos negros se sentiram ofendidos por esta versão afro na qual Barbie apresenta um famoso biscoito preto por fora e branco por dentro. À época, grupos racistas usavam o termo oreo como ofensa aos negros.

Foto: oddee.com

BFMC The Lingerie Barbie Doll #6 (2003): Apesar de Barbie já ter usado diversas lingeries, muitos criticaram este modelo por acharem uma ruiva usando rendas pretas extremamente provocante e que o traje não seria adequado para a boneca, que sempre teve uma imagem mais comportada. A Mattel resolveu não lançar novas bonecas com o tema lingerie nesta série e atualmente colocou uma tarja que esconde o corpo das bonecas nas fotos expostas em seu site oficial, como também pode ser visto abaixo:

#6 | Imagem: wowdolls.com
Imagem: barbiecollector.com
The Lingerie Barbie Doll (2000) | Imagem: barbiecollector.com
The Lingerie Barbie Doll (2001) | Imagem: barbiecollector.com
The Lingerie Barbie Doll #5 (2002) | Imagem: barbiecollector.com
The Lingerie Barbie Doll #4 (2002) | Imagem: barbiecollector.com

Happy Family Midge & Baby (2003): Muitos pais não gostaram da ideia de suas filhas verem a amiga da Barbie grávida sem uma figura paterna. Para amenizar o problema, um segundo lote foi rapidamente providenciado onde a figura do marido (Alan) aparece ao fundo junto com o filho mais velho do casal. Abaixo, primeira e segunda versões da caixa:

Foto: beaniejabber2/eBay
Foto: manbehindthedoll.com

Black Canary Barbie (2008): Essa virou notícia quando o jornal britânico The sun publicou uma matéria onde era duramente criticada, chamando-a de sadomasoquista e dizendo que suas roupas eram sexualmente sugestivas. Até a desenhista Amanda Conner, criadora do uniforme da personagem, se pronunciou: “A roupa não mostra muita coisa. Talvez tudo isso seja por causa das meias arrastão, ou simplesmente porque a roupa é de couro preto. Se a Mattel tivesse lançado a mesma roupa em rosa-choque, provavelmente todos estariam mais calmos.” (Fonte da info: Jovem Nerd/IG)

Imagem: barbiecollector.com

I Can Be… Ballerina (2009): Neste caso a polêmica da vez não foi por conta da boneca em si, e sim pelo preço. Acontece que a Wal-Mart, uma das maiores redes de comércio varejista do mundo, alterou os preços das versões afro-americanas dessa Barbie I Can Be…, deixando-as por quase metade do preço da versão loira. Assim que a notícia se espalhou pela internet, um porta-voz da Wal-Mart se pronunciou sobre o caso: “Para escoar estoques e prepararmos a chegada de novas coleções na primavera, vários dos nossos produtos estão com preços mais baixos. Neste caso, ambas são excelentes bonecas e se um dos modelos está a preço de saldo (o preço inicial era igual) deve-se simplesmente ao fato de se vender menos”. A explicação não deixou satisfeitos alguns representantes da comunidade afro-americana que considerou a queda expressiva do preço como uma desvalorização das bonecas negras. Não se sabe se a rede varejista chegou a vender seus estoques de Barbies afros ou se estas foram recolhidas aos estoques até acalmarem-se os ânimos. Este tema foi tratado aqui no MBD em 2010.

Foto: Diário de Notícias

Tokidoki Barbie Doll (2011): Assinada pela grife Tokidoki, a boneca rapidamente passou a ser uma das mais conhecidas da história já que foi o centro de uma polêmica mundial. Muitos pais criticaram-na por considerar que poderia influenciar crianças a quererem tatuagens e cabelos com cores exóticas, antes que tivessem idade sufieciente para isso. Por outro lado outros pais defenderam que Barbie só estava refletindo a cultura pop atual, por representar por exemplo cantoras como Lady GaGa, Katy Perry, entre outras, que usam tatuagens, roupas estranhas e cabelos coloridos. O tema também foi levantado aqui no blog.

Uma das inúmeras tattoos ostentadas pela boneca | Imagem: http://www.shewired.com

E vocês, acham que essas polêmicas se justificam?

Com colaboração de André Santiago.

Anúncios

14 comentários sobre “Barbie envolvida em polêmicas

  1. Tudo isso vem de uma mente de um pai ou de uma mae com ctz.. e vou te contar que mentes imaginarias heim… na minha opniao nao se justifica nenhum pouco.. qndo pequena se eu via alguem gravida por ex. ou com um bebe, eu me preucupava muito em so saber do bebe e infelizmente nunca m lembrava do pai… nao q ele nao seja importante, ele é, mais qndo criança ficamos mais focados no neném e nao se tem um pai ou nao… no caso do exemplar da amiga da Barbie.. acredito q esses pais se preucuparam demais..

  2. Nao acho que nenhuma polêmica, relacionada a qualquer brinquedo, se justifique, porque se uma criança cresce com a mente suja, é culpa dos adultos com os quais ela cresceu. Eu já disse uma vez aqui, no tema da Tokidoki, é mais fácil pôr a culpa em qualquer coisa menos em um mesmo.
    Se tanto problema esses adultos têm, que nao comprem o brinquedo! E nao tem nenhum sentido criticar bonecas de coleçao quando essas nao foram feitas pra crianças.
    Se os pais inculcam idéias/pensamentos de mal gosto às crianças, educam mal ou diretamente nao educam, a culpa é simplesmente sua, nao do brinquedo. A sujeira está nos olhos de quem a vê.

  3. Acho tudo isso uma bobagem, principalmente pelo fato de algumas dessas dolls serem collectibles, nem serem destinadas ao público infantil. Sobre a Oreo, eu li a respeito, Oreo era ofensivo aos negros porque descrevia um(a) negro(a) com espírito de branco(a), que agia como (imitava) os brancos. Mas bem que poderiam colocar a Toki Doki na promoção por causa disso XD~

  4. A pior, que realmente achei polêmica, porque as outras sinceramente foi por pura besteira desses pais americanos, foi a da barbie negra sair por 3,00 dollares. O ken segue a moda de brincos, o povo acha gay, outras pessoas seguem aqui fora e acham “descolado”. A Mattel devia era fazer mais dolls com tatuagens para provocar esses pais sem noção. Acho que você tem razão, se não querem que os filhos brinquem com isso, não comprem.

  5. Post muito interessante; acho que algumas dessas polêmicas são desnecessárias, já que tem dolls que são destinadas a colecionadores adultos e não à crianças, e creio que a criança se preocupa mais em brincar; como disse a Paloma a sujeira está nos olhos de quem a vê.

  6. Amei este post! Creio que todas as polêmicas que envolvem a nossa querida foram marcas da falta de maturidade, preconceito, mas porque será que os pais compram bonecas bêbe, se não a adiantar a maternidade da criança? É uma questão fácil de ser resolvida, não acha legal para seus filhos, não lhes dê, lembrando-se que antes melhor incentivar a brincadeira ao crescimento pré-maturo, que é o que acaba acontecendo com a maioria das meninas. É como uma amiga minha me falava sempre: “Minha mãe não quer me dar Barbies para brincar, depois ela não reclame seu eu querer brincar com Barbo” rsrsrsrrs
    Beijos
    Magda.

  7. Olá a partir de Espanha: Eu acho que a Mattel está interessada em criar essa polêmica porque é publicidade gratuita para suas bonecas. De qualquer forma estamos em um país livre e quem não gosta de Barbie que não a compre. As crianças de hoje são mais influenciadas pela televisão ou vídeo games do que por bonecas.Te felicitá e Andrew James por esta história tão bem preparado e com o material gráfico. Mantenha contato.

  8. Bom, não podia deixai a minha afirmação. A maioria dessas barbies ditas pol~emicas são da linha collector, o que os pais tem á ver com barbies collector? São muito fofas as Silks de lingeries, todo mundo usa, qual o problema? Se lembram do decote de uma Básic da primeira coleção que tinha um decote que quase batia no umbigo? Ridículo.Problema mesmo é com os preços que a Wall Marte estipulou para a AA. Tipo, elas já não estavm sendo bem vendidas e POR ISSO a Wall Marte baixou ainda mais p preço, DESVALORIZANDO-AS AINDA MAIS!

    1. Obrigada Deisy, Paloma, Mele, Lady Lolo, Giovanna, Barbara, Magda, Marta e Barbiera pelos comentários. Concordo com vocês em muitos pontos, como por exemplo se algum adulto se incomoda com determinada boneca, basta não a dar para nenhuma criança; ou que muitas dessas polêmicas também contribuem para o aumento das vendas dos brinquedos (a Tokidoki é um exemplo disso, já que apesar das críticas, esgotou rapidamente e hoje é considerada um item raro e muito caro, quando disponível para venda por meio de terceiros).
      Mas acredito que essas não serão as únicas polêmicas na vida de nossa diva, pelo contrário. Provavelmente muitos outros casos aparecerão futuramente, já que nunca se sabe o que se passa na cabeça desses adultos para levantarem tantas polêmicas.
      Beijo a todos!

  9. Na minha opnião isso é tudo inveja, inveja da Ruth que criou uma boneca e fez sucesso, e os invejosos tentam inventar defeitos pra por na Barbie, ou tb porque o pais nao aguentam mais comprar Barbies pras filhas, ah sei la, o mundo ta cada vez pior eu hein…

    ah, gostei da Barbie biscoito e.e -q

  10. Até me sentiria ofendido pelo slogan do biscoito que diz preto por fora e branco,foi mesmo muito arriscado quando lançaram a coleção Happy Family mais as pessoas deviam é tomar no cú pela Barbie todoki porque ela é collector não é pra criança.

Deixe seu comentário no espaço abaixo! Obrigada! :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s