Barbie Video Girl: uma análise

Aproveitando a queda no preço da Barbie Video Girl resolvi adquirir um exemplar para ver qual é da novidade (Desde o ano passado a boneca estava sendo vendida por R$ 249,90. Mas com as liquidações de fim/início de ano o valor caiu para R$ 99,00).

Eis algumas considerações a respeito deste modelo:

A boneca na caixa | Foto: Divulgação | Mattel

A roupa é simples (apesar de eu ter adorado o par de ankle boots dela). Diferente do plástico usado em outras bonecas produzidas pela Mattel, o material usado nesta boneca é rígido, haja suas especificações técnicas/eletrônicas internas. Mas  a caixa, pelo amor! Um saco pra abrir.

A doll (frente e verso) | Foto: Divulgação | Mattel

As pilhas (palito / tamanho AAA) são localizadas nas duas pernas da boneca (uma de cada lado). Para colocá-las é necessário usar uma chave Philips pequena para abrir e fechar o compartimento.

Um raio X da boneca | Foto: Divulgação | Mattel

A câmera é super fácil de usar (considerando um adulto aficcionado por tecnologia). Não precisei usar o manual para ligar/desligar, fazer vídeos ou descartar o que não gostei. Para editar os vídeos, a Mattel disponibilizou no site da Barbie um software de edição – www.barbie.com.br/videogirl (que ainda não usei pois ainda estou baixando: 50 megas o tamanho do troço!). Ah! A boneca também pode ser usada como uma espécie de webcam, conectada ao pc.

O compartimento das pilhas | Foto: Samira

Resolvi baixar o vídeo sem usar o software. É bem tranquilo! Basta conectar o cabo USB pink que acompanha a boneca no computador. O esquema é semelhante a um pen drive. Vá em “Meu Computador” e lá é possível encontrar a pasta da boneca. Copie o vídeo e remova o cabo com segurança. Confira um vídeo de exemplo que fiz (Ps.: todos os vídeos possuem áudio, mas removi o áudio do filme abaixo propositalmente).

A qualidade do vídeo não é boa, apesar de conseguir ver razoavelmente aquilo que você grava. O áudio é bom: volume alto, regular. A memória interna é de 256 megas; vida útil da bateria: 75 minutos; resolução do vídeo: 320 x 240. Os vídeos podem ter até 25 minutos de duração, de acordo com o próprio manual da boneca.

Exemplo de imagem feita no momento da captura do vídeo | Foto: Samira

Agora vamos a análise propriamente dita sobre a usabilidade do produto. Para as crianças – acima de 6 anos, conforme indicação da própria fabricante – as ideias são inúmeras. Dá para gravar brincadeiras, histórias, enfim, tudo depende da criatividade da criança. E considerando que criança é um ser super criativo, dá para pensar em várias possibilidades. Mas os pais também podem se valer do invento…

Quando soube do lançamento da boneca, na metade do ano passado, logo pensei: é uma ótima maneira de monitorar o comportamento das crianças e de quem as cuidar de forma secreta. Principalmente quem tem crianças pequenas e precisa de uma babá para cuidar delas. Infelizmente muitos são os casos de agressão contra as crianças (até por parte dos próprios parentes) e este brinquedo poderia ser uma forma de monitorar isso – apesar do pouco tempo de vídeo e qualidade duvidosa.

Os itens que acompanham a boneca | Foto: Samira

No entanto, a boneca pode ser usada de forma errada e criminosa. A possibilidade, inclusive, foi levantada pelo FBI nos EUA e repercutida em vários veículos da imprensa, como é o caso da CNN e da Folha de São Paulo, aqui no Brasil.

De acordo com a CNN, um relatório emitido inadvertidamente pelo FBI aponta que pedófilos poderiam usar a boneca para produzir pornografia infantil. A acusação é grave, porém real. Preocupada com o uso da boneca e a imagem da empresa, a Mattel emitiu um comunicado informando o seguinte:

“Os produtos da Mattel são desenhados levando em conta as crianças e seus interesses. Muitos dos funcionários da Mattel são pais, e entendemos a importância da segurança infantil – é nossa prioridade número um”.

De qualquer modo, a Mattel não retirou o produto do mercado, até porque o próprio FBI disse que não era necessário, por se tratar apenas de uma possibilidade. Infelizmente nem tudo na vida são flores. Então, todo cuidado é pouco, basta incentivar a brincadeira de forma dirigida e responsável.

Anúncios

5 comentários sobre “Barbie Video Girl: uma análise

  1. “é uma ótima maneira de monitorar o comportamento das crianças e de quem as cuidar de forma secreta.” Foi a primeira coisa que pensei também!

    Poxa, usar pra pedofilia, sacanagem! E pode ter certeza que tem gente fazendo isso x.x Mas também não acho motivo pra tirar um produto legal do mercado, por ele ter sido deturpdo. Ah, sei lá x.x

    1. É, mas essa possibilidade existe, por isso o FBI já se adequou a isso. Infelizmente esses criminosos usam todos os artifícios imagináveis para cativar suas vítimas. Resta os pais e responsáveis estarem de olho aberto para qualquer ação diferente que as crianças tomem.
      Beijo

  2. Sam, adorei o post!!!!!!!!!!! Muito interessante o assunto sobre pedofilia e monitoramento, realmente temos de ficar ligados nesse assunto.

    Mas confesso que achei essa boneca um pouco estranha, sei lá… Será que daqui à alguns anos a Mattel vai lançar uma boneca que se move com controle remoto? Afinal, eles tem grana para isso!!

    abraços xoxoE!!!!!!!!!!!!

Deixe seu comentário no espaço abaixo! Obrigada! :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s